quinta-feira, 14 de outubro de 2010

VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER

Um casal após passar pelo namoro, noivado, decide se casar. Os preparativos para festa, o tão sonhado vestido de noiva, a casa onde vão morar...., expectativas de felicidade, congratulações dos amigos para um novo tempo que se inicia na vida de ambos. Emfim casados.
O tempo vai passando e ambos vão se mostrando como realmente são, sem máscaras. No processo do cotidiano surge um homem e uma mulher diferentes e aí surge a velha frase;*Ele não era ssim*, *Ela não era assim*. Ambos mudaram! Errado! Ambos sempre foram exatamente assim! Como se mostram, com defeitos de fabricação que não viam, com comportamentos diferenciados, manias, e derepente a mulher por exemplo descobre que aquele cara meigo, romântico, carinhoso, educado, gentil e lindo de viver,....quem diria hem! Gosta de bater em mulher, se descontrola, bebe demais, chegando em casa violento, querendo briga mesmo, e aí dentro do calor da discussão, é a mulher quem leva a pior, e apanha feio. Nestes termos a relação conjugal vai enfraquecendo até chegar a separação, na melhor das hipóteses.
Brigas provocadas por ciumes doentios, pelas drogas em geral, como álcool..., por jogos como carteado.., ou até mesmo pela fulaninha que resolve azarar o cara. O marido que esquece o caminho de casa e cai na folia, deixa a família passar necessidades, acha que a mulher é saco de pancada......, pois é, * O BELO VIROU FERA* O que fazer? Tentar salvar o casamento o casamento até o ponto em que fôr possível, ser inteligente, pois é preciso ser racional, controlar as emoções, procurar ajuda de um profissional, como psicólogo. Infelizmente algumas mulheres provocam esta situação de agressividade, embora não justifique. Se o cara se atrasa, ela acha que estava com a outra, chega bêbado, ela o humilha, xinga e revira suas coisas, caso encontre algo suspeito, do tipo bilhete, ou mesmo foto, número de telefone..., aí a briga fica mais feia ainda, e descontrolados partem para a agressão física que no auge da discussão, vem o desequilíbrio e a mulher é quem sai perdendo, pois não dá para medir forças com um homem. E daí por diante a vida de ambos se transforma num inferno só, a ponto mesmo de irem parar numa delegacia, num hospital, na justiça...,é o fim.
Se não houver jeito de salvar seu casamento, separem-se, mas sem violência, não deixe a situação chegar nestes termos, agressão física não. Não dá para ser feliz levando tapas no rosto, ponta pés, socos a revelia. Isto pode ser evitado, até mesmo antes de casar. Para isto existe o namoro e o noivado, é só não achar que é tudo festa o tempo todo e observar o comportamento do seu príncipe encantado. Ele se irrita por nada? gosta de beber? E depois, como ele fica com você? Como é o convívio dele com seus familiares? com os amigos!
Avalie tudo, principalmente os defeitos e tire suas conclusões sobre seu futuro com ele. Não se iluda com as aparências, casamento é coisa séria. Violência dentro de casa envolve os filhos, parentes, vizinhos......., sem falar na vergonha que você mulher, fica ao se expor fora de casa, é humilhante, você não precisa disso. Não aceite isto, denuncie quem bate em mulher, pois quem bate uma vez, bate sempre. Este papo que; Nunca mais faço isto, é mentira.
Você é um ser, você é alguem, valorize-se. Diga não a violência, seja como for. Hoje nós já temos a bendita LEI MARIA DA PENHA. Então não se cale, denuncie.
Fomos feitas com amor e para sermos amadas, respeitadas em nossos direitos.
VIOLÊNCIA NÃO.

Nenhum comentário:

Postar um comentário