quarta-feira, 30 de julho de 2014

Me chama - QUE EU VOU

Eu vou no embalo dessa sua alegria de viver e amar
Nesse seu jeito jeitoso de dizer que me ama
Me chama menina, a menina de sua vida
E eu vou de sorriso franco e feliz receber seus beijos
Eu corro depressa para seus braços abertos a me abraçar
Eu vou me esconder no recanto, nosso canto
Onde o amor se firma numa entrega de doces carinhos
Onde os dois se tornam um, nos afagos e sussuros da paixão
Me chama que eu vou, voando nas asas desse amor gostoso
Esquecer o ponteiro do relógio, que olha invejoso
Pois seu tempo não para, para ser feliz
Eu vou voando nas asas desse vento que me leva
Encontrar com você nos átrios do nosso recanto
Eu chamo seu nome e o eco leva meu som
E ouço o seu nome que vem correndo pra mim
O universo maldoso conspira nosso encontro
E eu vou .........vouuuuuuu.......ouvindo seu chamado
Cair nos seus braços e esquecer de mim
Me encontrar no jardim florido de nós dois
Deitar na alamêda e rolar com você
Ouvindo a orquestra da passarinhada
Numa tarde de sol a nos iluminar
Paraíso único de um grande amor
Onde só nós dois é que sabemos
O quanto nos queremos bem.
Me chama - que eu vou

BAILA COMIGO

O salão está cheio de gente sorridente
Gente que me parece feliz
A orquestra toca seus sons, nos tons classicos e MPB....
E nessa beleza poética cantante e tocante aos corações
Tem corações namorados e enamorados trocando seus olhares pelo salão
Vestidos esvoaçantes com seus pares rodopiam nos seus saltos
Jóias brilham nos pescoços femininos, mostrando seus colos perfumados e sensuais
Flores embelezam o ambiente remanescente
No canto sentada estou eu bela morena, faceira....observando e observada
Fecho meus olhos e ouço mais aguçadamente os sons dos instrumentos musicais
Alguem vem em minha direção e diz - Baila comigo!
Meus olhos se abrem, o coração dispara e lá vou eu pelo salão
Levada pelas mãos firmes daquele príncipe, não sei de onde...... rsrrs
A roda no meio do salão se abre, todos se afastam e eu ali suspensa no meu salto
Quando a orquestra toca só para nós, um classico no tom CARINHOSO
E lá vou eu guiada pelas mãos daquele moço bonito quando derepente -- uauuu
Para a música e ele tira da cartola uma flauta e me deixa ali quase sem ar, perplexa
E começa a tocar só pra mim, Silenciam-se todos
Lá no meio parada estou eu ouvindo o som da flauta desse amor
Começo a dançar - bailar a sua volta no som sonoro dessa canção
Os flautistas da orquestra começam a tocar e ele sorridente me estende a mão
Carinhosamente me diz; BAILA COMIGO !

segunda-feira, 28 de julho de 2014

RECORDAÇÕES

 De uma noite que vôa e madrugada que chora.

O dia passa trazendo a tarde que vai levando o sol para perto da lua
A tarde vai trazendo a noite que vem trazendo a lua cheia prateada, despontando atras dos montes
Na janela envolta em seus pensamentos tem alguem envolta nas suas recordações
E nessas recordações tem saudosas lembranças que levam ao choro


Madrugadas que choram o amor que se foi, o filho que partiu, a palavra que não foi dita
A vida que não viveu, o sorriso que não deu........aí! Essa madrugada que só faz chorar
Essa alma sentida, que soluça solitária nas vertentes dessa noite que voa.
Tantos ais...... um soluço que o vento leva, dali daquela janela debruçada no parapeito
O vento sopra suave neste momento tão único, tão especial.......dessa noite que voa
Dessa madrugada que chora......
Desse coração que se entrega
Que deságua..... que ama......

NAVEGANDO

Voltei num tempo e que tempo bom era este!
Um tempo em que eu navegava nos barquinhos bucólicos
Barcos artesanais que cortavam o largo rio da minha cidade
Toda a população tinha este barco como meio de navegação
Este rio separa até hoje duas cidades, e este barco da minha infancia
Ah! Este barquinho ainda existe por lá indo e vindo.... vindo e indo.......
Cresci nas entranhas desse rio e seus riachos
Ali desaguava minhas mágoas, minhas tristezas, meus prantos
E nele também nadava tardes inteiras, caminhava como as aves
Que caminham na beira do rio solitárias catando pedrinhas e barrigudinhos
Altiva morena na beira do rio, sentada as vezes no barco ancorado numa ilha
Olhava a natureza no seu curso, encantada pela bela paisagém que se mostrava altaneira
Ouvia o barulho das cachoeirinhas por horas, o sol saudava as águas com seus raios dourados
E ali me deleitava navegando rio acima naquele barquinho a remo, feliz
Passava pelas moradias ribeirinhas e seus moradores silenciosos ouvindo e vendo
O ir e vir dos passageiros daquele rio.
Bela paisagém..... belo rio no qual ainda navegam as pessoas de lá.
Romântico..... bucólico........encantador.....



VOU TE FALAR - MEU AMOR

VOU TE FALAR - MEU AMOR
Estou aqui envolvida nos meus **EUS** e nos meus **AIS** 
Debruçada na janela do tempo sinto na face o vento que vem de lá e de cá
Fecho meus meus olhos e deixo as lembranças virem a tona....... hummmmm
Aí me vem o desejo de te falar das flores, dos amores, das saudades.... meus **ais**
Vem a tona os meus **eussss...** recheados de saudosas lembranças desse tempo
Que teima em trazer você de volta ao meu coração
Vou te falar desse amor que não esvazia minha alma ja sofrida
Dassa incerteza que me me distancia de voce as vezes
Do amor que sentes e não admite que sente.
Dos abraços apertados e dos beijos dobrados
Dos corpos suados, nos nossos lençóis
De nós dois embrulhados nos edredons
Do sono profundo depois da entrega
Do amor admitido nas nossas palavras
Vou te falar meu amor com a certeza do que sinto
Que te amarei enquanto viver.
Vou te falar e falarei sempre do nosso amor
Porque sei que dentro desse coração tem um amor
Que bate em sintonia com o meu,
Que me ama, e corresponde ao meu amor
Vou te falar moço....... EU TE AMO
VOCÊ ME AMA....... é fato.


sexta-feira, 11 de julho de 2014

JUÍZES

Uma balança e duas medidas
Assim faz os juízes nos seus tribunais
Mas cá fora também temos juízes de toda sorte
Com seus chicotes nas mãos ferindo sem fundamento
Suas sentenças por vezes cruéis ricocheteiam a alma vivente
Deixa corte profundos, que o tempo ameniza e cura
Mas como lembrança deixa sua marca registrada na pele e no coração
Nesse tribunal aleatório onde homens se acham na condição de réus
Onde feras feridas são julgadas, são encarcerados
Onde quem julga tem a razão que a razão desconhece
Onde os feridos gritam por justiça
Onde também muitos são injustiçados
Nesse portal infernal a vida muda de rumo
O que era ruim fica pior
Vivenciando por anos o resultado dessa balança
Só quem sofre julgamentos sabe como é
Os juízes estão por toda parte, sentenciando, condenando...
Muitas das vezes injustamente, sem nenhum conhecimento de causa
Uma balança e duas medidas, cuidado com ela.


REFLEXÃO SOBRE O AMOR A DOIS

Nos tempos atuais ficou nessa geração ja desencantada, a idéia falsa de que NAMORO, NOIVADO E CASAMENTO ´´e uma prisão dentro da visão errada de ser feliz, quando Deus fez homem e mulher foi para que andassem em pares, juntos compartilhando a vida e suas complexidades, um é o equilíbrio do outro, uma balança com 2 pesos e duas medidas proporcionais as responsabilidades de ambos nessa conjuntura espetacular do relacionamento. Deus fez dois seres espetaculares, inteligentes e diferentes para viverem dentro do mesmo espaço, num eterno processo de aprendiz, e ele ja sabia que essa união seria uma maratona difícil de ser executada.
Fez o homem prático, objetivo e visual, e fez a mulher com sua forma física diferenciada, inteligente, emocional e estas medidas dão equilíbrio a ambos. VC JA IMAGINOU SE SÓ EXISTISSE HOMENS OU SÓ MULHERES! Inimaginável né mesmo! Deus fez e faz tudo perfeito, mas o egoísmo, o egocêntrismo exacerbado do ser humano em geral nessa geração tem levado homens e mulheres a andarem separados, indo pra lugar nenhum, aliás simmmm....... caminhando para o poço da solidão que resulta na depressão, que termina em muitos casos em suicídios, já se tem casos de pessoas não suportando a solidão e se suicidando, fazendo besteiras porque foram imbecilmente egoístas. Por mais que alguem tenha seu tempo tomado numa fuga infeliz, para camuflar a necessidade de uma companhia, em algum momento esta pessoa vai sentir a necessidade sim dessa companhia que reluta em não ter. A cadêia de pessoas nessa péssima direção levará bilhões para uma morte em vida, zumbis da própria ignorância de achar que ter um amor pra vida toda é negativo. Pessoas que não querem dividir nada, compartilhar nada, que preferem caminhar solitárias, numa liberdade prisional sem beleza nenhuma, desencantados, sem alegria de poder sorrir juntos, ou de chorar juntos..........sem consôlo, sem cuidados.......
Homens e mulheres preferindo ter seus CASOS, sem nenhum laço de amizade e amor. Fazendo do amor uma banal conjunção carnal temporária, que quando finalizada cada um toma seu rumo, deixando no ar o prazer insatisfatório de uma ação sexual, sem bases, sem créditos, sem verdades, sem amor, sem paixão......... sem brilho....... sem vida....... sem nada na verdade....... utopias.
Pessoas que caminham adormecidas por meras ilusões de uma armadilha que ousam chamar de felicidade.
Tem gente que pensa que tem que casar para SER FELIZ, mas é o contrário case-se para FAZER A OUTRA PESSOA FELIZ e dessa forma ambos serão felizes. Caminhar juntos é maravilhoso, ter seu amor ali do seu lado em todas as etapas da vida é inespressível, o peso das responsabilidades dividas é ótimo. Ser feliz a dois é saúde mental, emocional e física. É um eterno aprendizado a dois, sempre quando um cair o outro levanta, ter numa mulher todas que a imaginação desejar, e ter num só homem todos q ela imaginar..........é assim mesmo.....é desse jeito belo de ser e viver a dois. SOLIDÃO não esta com nada e adoece a alma que acaba morrendo em vida.
No futuro teremos ZUMBIS sem rumo, sem prumo caminhando e destilando sua infelicidade por aí, exibindo seus títulos, seus diplomas, suas culturas, seus gordos salários, suas riquezas, suas pobrezas, para nada, para ninguém......... pobres seres sem brilho, pobres seres infelizes na sua eterna fuga do outro.
O fenomenal de viver a dois, numa aliança de vidas é que ambos crescem e amadurecem juntos, exercendo o real valor do amor e da amizade, isto não tem preço......... e é de uma beleza única, intransferível.