quarta-feira, 13 de outubro de 2010

LUA

Cantada, encantada
Côr de prata,
Iluminada.
Brilhando no céu azul,
Riscando o ar,
Caindo como véu de noiva
nas águas dos rios, dos mares,
Seja na faze que fôr, melhor na cheia.
Enorme, redonda, brilhante,
Saindo por tras das montanhas,
Trazendo nos seus raios,
Beleza, sonhos, saudades
Lua, leva um raio seu
Bem depressa ao meu amor,
Num recado bem direto,
Diga-lhe que a saudade
Bate forte, fere o peito.
Que esperar é um martírio,
Que o amor é verdadeiro.
Vai depressa, tras consigo
Enlaçado nos seus raios,
Àquele amor
Dono único,
De um pobre coração,
Que chora de emoção,
Lua, que atravessa o céu
Corre com o vento,
Vence o tempo.
Beleza pura na noite escura,
Clareando caminhos,
Amolecendo corações,
Testemunha única,
De amores únicos.
Vai então minha rainha
Leva seus raios,
Ilumina um coração,
Abre-lhe uma fresta,
Que eu aqui, faço a festa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário