quinta-feira, 24 de abril de 2014

PAPEL E CANETA

O papel muito branquinho, no canto da prateleira Olhou para a caneta dentro de um pote sobre a mesa E ficou observando aquela caneta novinha, cheia de tinta E nada entendia dela ali caladinha, sem um movimento sequer E pensou; Eu estou aqui nessa pilha entulhada no meio da poeira Entulhado a outros papéis tão brancos como eu E a caneta tintosa jogada naquele vidro Sem um movimento sequer Ela e eu - Eu e ela Não podemos ficar assim nesse silencio doído Quando a vida lá fora dessas paredes vibra com ardor Aí resolvi chamar a caneta que pronta me disse - OI E o vento que entrava por uma das janelas Me mandou para cima da mesa do ladinho da caneta Que contente começou seu trabalho Deixando suas marcas numa linda expressão Poeticamente falando, foi deslizando a pena Na mão dessa poeta que gosta de poetar Escrevendo ela foi, na simplicidade das palavras Formando rimas e brincando Fazendo da caneta e papel suas armas poderosas Atirando com destreza as palavras do coração E homenageando o papel que docemente se deixa Acariciar pela caneta que escreve e descreve Suas frases e poesias, como almas gêmeas Nós vamos nas mãos dos escritores Escrevendo romances, falando sobre política E fazendo poesias.

***** OUTONO****

Dentro das quatro estações temos uma especial É outono, estação de renovação, As manhãs são mais amenas, As tardes também o são, O sol brilha bonito, dando brilho a natureza Que começa a se desfolhar Jogando fora coisas velhas, velhas folhas Ficando seus galhos pelados de dar dó a quem passar Pelas estradas avistar suas folhagéns a falhar A natureza verde muda seu tom para marrom Até o vento fresquinho cuida para não quebrar Seus galhos delicados nesse seu mudar As coisas velhas se passaram E eis que tudo se renova Na natureza lá fora e cá dentro dos corações Velhas folhas se destacam dos troncos as vezes cansados E eis que a natureza perfeita Se encarrega de tudo se renovar Deixe que o outono renove seu coração E vem comigo brindar a esse novo ciclo da vida E a felicidade conquistar, deixando que novas folhas Brotem da nossa alma, para o amor conquistar. Nessa tarde de outono vamos vendo o desfolhar De tantas árvores que um leve vento esvoaça suas folhagéns Caem no chão forrando como tapetes suas cores bem diferentes Seja bem vindo o outono! Que traga nos seus troncos novas folhas Que renove no meu coração coisas boas

ESSE SOL...

Na tela da minha janela olhando as rosas em botão Vi um raio dourado iluminando o jardim Borboletas esvoaçantes girando pra todo lado Brindando o dia na sua alegria de viver Olhei para as montanhas e vi deslumbrada raios de sol se levantando Me dizendo BOM DIA ! Acorda maria bonita! Que esse sol que se levanta para iluminar a terra Também quer levantar e dar vida aos corações adormecidos Esquentar seu coração para o amor que vem de lá Abrir nos lábios fechados escancarados sorrisos Dizer que tem vida pulsando nas veias invisíveis Que nos olhos tem brilho próprio para sinalizar um amor E esse sol que se levanta lá atras daqueles montes Esquenta também um coração carente Esperando encontrar um amor caliente

quinta-feira, 10 de abril de 2014

O ESVOAÇAR DAS BORBOLETAS

Me lembro dos tempos idos, quando ainda criança Corria descalça pelos campos da minha terra Subia nas árvores pegando frutas, e jogando no chão Reunida com as amiguinhas brincando de esconde-esconde...... No meio das árvores lá ia eu e a turma levada na maior gritaria E num dado momento nesse corre corre, entramos no meio de um jardim Nem era de verdade um jardim, mas havia ali muitas flores lindas E vimos bailando uma enormidade de borboletas coloridas De vários tamanhos bem a nossa frente descontraídas no seu bailar esvoaçante Aquela núvem de borboletas nos deixavam elétricas.........rsrsrrsrs E saíamos com nossos cabelos soltos igualmente esvoaçantes atras das borboletas Ah! Como era bom ser mesmo criança! Coitada das borboletasssssss.......... Parei num dado momento vendo o esvoaçar das borboletas multicoloridas Atônitas sem saber pra onde ir e onde pousar, amedrontadas com a nossa presença Devagar tentei pegar uma nas mãos, que escapou sorrateira Como era linda! meus olhos cintilavam diante de tanta beleza e delicadeza O bater das asinhas frágeis de uma lado pro outro serelepes........lindas! Ao me virem ali parada vieram todas e tambem pararam e em silencio Sentamos no chão extasiadas com o esvoaçar das borboletas.

terça-feira, 8 de abril de 2014

SOL DE SOL

Resolvi ver o dia amanhecer na beira da praia
Saudades me levaram a passos lentos e cheguei a praia
A cidade começa a despertar, e eu ali no calçadão descalça
De frente para o mar, aí sento-me na areia e vejo alguns pássaros 
Fazendo festa nessa manhã de sol e de saudades de sol
Lá longe lá vem ele despontando, tímido como quem nada quer
Em doses homeopáticas dessa manhã fresca ele vem de lá
E eu de cá brindo o seu nascer glaumoroso e o coração bate forte
Seus raios dourados começam a se misturar com as águas calmas
Ondas tranquilas dando ao cenário natureza seus tons de prata e dourado
O azul do mar fica prateado quando as ondas vem de lá ao encontro da praia
E eu sentada ali na areia, com saudades de alguém, que nem sei onda anda
Talvez no meio de algum jardim, perdido de amor por elas.....
E eu continuo ali deslumbrada com aquele sol, que me lança um raio dourado
Saudades que batem no coração e aquele sol me dizzzzzzz.........uauuuuuuuuu...
Pegue esse raio de mim, e vai ser feliz
Esquecer o amor que não lhe quiz
Abrir seu coração para outro amor que lhe queira bem.
Que esse raio de sol, meu sol se espalhe dentro da sua alma
Iluminando seus passos por onda passar
Comecei a andar e andar na beira do mar
E o belíssimo sol desse dia me deu lições
Meu sorriso se abriu e esperançosa enviei beijos pra ele
Agradeci a Deus por tanta beleza e força
E segui o sol da minha vida
E decidi ser feliz.

MEUS *EUS*

Numa tarde de sol brando e eu ali parada
Aguardando o trem chegar, ansiosa estava
O relógio parecia não andar, coração acelerava
E eu ali fingindo calma, a esperar....
Aquele moço bonito por quem meu coração batia forte
O trem chegou na estação trazendo o meu amor
Belo no seu jeito especial de ser.
Descia as escadas na sua elegãncia e me sorria
Feliz fiquei de ter esse moço bonito e cheio de charme
Ali comigo, olhos brilhando, me cumprimentando
Com um beijo doce e suave
Damo-nos as mãos e saímos passeando...... felizes
E assim começou um romance entre nós
Ele ia embora e eu ficava ali, na doce esperança da volta
E ele sempre voltava........e voltava...... ai.
E a cada volta era como se despedisse de mim.
Cada momento era único
Eu evitava as expectativas para não sofrer
Deixava-o sempre ir, nunca sabia se voltava
Sofria....., mas aprendi a descansar a cada partida
Algo me diz que ele vai embora, sinto assim
Uma águia não se prende na gaiola
Deixo-o partir, vôar mundo a fora
E eu ficarei aqui, na eterna saudade
Desse moço elegante, que fez bater meu coração
Um dia talvez... quem sabe.... a gente se encontre
Um dia quem sabe! O trem o traga de volta....
Mas eu fico aqui com meus EUS........
Meus EUS.... meus AIS........
Minhas saudades.......meus suspiros.....
Minhas lembranças.

OS TEMPOS

OS TEMPOS

O tempo corre depressa, corre ligeiro
Já faz um ano que te conheci
Idas e vindas e vindas, estamos aqui
Tempo sem tempo
Tempo de nada
Horas passadas junto a ti
Nem me dei conta, de todo este tempo
Que o tempo teimoso nos mantém aqui
EU e TU - TU e EU
Juntos, nesta vida corrida de todo dia
Dias e dias desencontrados
E outros de encontros marcados
Que o tempo marcou assim
Nossos afagos e palavras de amor
E o amor se fazendo em nós
Nos unindo mais e mais
E sem perceber, um ano passou
Que outros mais se somatizem
Neste tempo que passa
Passa batido, correndo ligeiro
E nos levando além daqui



VOCÊ É......

Reuni o alfabeto para encontrar a formação de palavras
Fui separando as letrinhas, assim bem devagarinho
E no meio de tantas, formei seu nome
Que só eu posso saber
Fui andando pelos jardins floridos
E olhando no horizonte vi você se aproximando
Com uma rosa nas mãos
Trazendo no rosto o sorriso
Que só um homem feliz pode ter
Me entregou a rosa mais linda
que havia naquele jardim
Me disse palavras de amor
Me deixou sem palavras, emocionada fiquei
Os pássaros voavam lindamente
A sombra de uma árvore os raios de sol brilhavam
E em seus braços senti seus abraços
Seus beijos os mais loucos
sua voz só um sussurro
Você é meu grande amor
E eu sou sua menina morena
Seu sol de amor, meu insano amor
E de amor nos embriagamos
Nessa taça de vinho brindamos
O amor que nos envolve
Que nos deixa assim como crianças
Rodopiando perdidos no meio desse jardim
Felizes o nosso amor confirmar