quarta-feira, 13 de outubro de 2010

PAIXÃO VIRTUAL

Em meio as tintas e pincéis
Telas, madeiras, tecidos e tal
Um ser virtual entra derepente na minha tela.
Com jeito de gente grande
Jeito de menino rebelde....
Um ponto de interrogação
Em meio a conversação..., hummm
será que é real! Será! Seraaaá.....
Páro tudo, vasculho suas fotos
Lá está ele todo engravatado
Aprumado em belos ternos
Virtualmente belo.
Balanço a cabeça e volto a paleta
De varaiados matizes
Retorno as telas.
Olha lá fóra, vou na janela
Respiro fundo, penso...
Este ser virtual que teima
Em ficar no meu coração
Como entender as razões de um coração!
Como entender que um ser virtual
Que mal sei o nome
Quando entra no ar
Transforma tudo em mim
Como num passe de mágica!
Coração que acelera no peito
Sangue que ferve nas veias
Nitroglicerina pronta para explodir!
É assim desse jeito, que me sinto
Com este ser peculiar.
Quem sem saber faz do meu coração
Uma trapalhada só, uma bagunça
Que culpa tem ele!
Que culpa tenho eu!
Ninguem tem culpa, ninguem!
Me surpreendo pensando nele
De dia, noite, madrugadas a fora.......
Quem é ele? Quem!!!!!!!
Que ser é este, capaz de me fazer rir,
E até mesmo chorar!
Perplexa fico eu, sem nada entender
Atônita, perdida em meio a um caso
Difícil de entender, de explicar.
Um deus grego, um amor impossível
Um ser virtual que me encanta,
Que me assusta,
Me apavora...., mas existe! ai!

Nenhum comentário:

Postar um comentário