quarta-feira, 13 de outubro de 2010

MÃE

Mãe, em você eu gerei,
No tempo certo, nasci
As palmadas pelas traquinagens foram tantas
Os carinhos também foram tantos.
Corri, brinquei, dormi, alimentei-me
Cercada pelos seus cuidados.
Na doença tive a sua vigília todo o tempo
Fui crescendo embalada pelo seu zelo
Você deixou de viver os seus sonhos
Esqueceu de si e só lembrou de mim
Deu-me seus dias e suas noites
Deixou que o tempo marcasse seu rosto
E o tempo correu depressa e hoje
No espelho da vida, vejo-me adulta
Como esquecer o que sou, se de você sou a cópia
A essência pura dos seus ensinamentos.
Mãe, obrigado pela vida que me deu,
Obrigado por ter me dado o seu tempo
Por ter feito de mim a pessoa que hoje sou
E hoje como adulta lhe entendo.
Foram tantas emoções... tantas histórias...
Você deu o seu recado, errou aqui, acertou ali,
Normal como qualquer ser humano.
Você foi, você é, você será sempre
Minha MÃE.

Nenhum comentário:

Postar um comentário