terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

BEIJOS ALUCINANTES

A tarde seguia tranquila e o vento do mar soprava calmo
Caminhávamos de mão dadas pela orla da praia
Nossas mãos apertando uma a outra
Nossos olhos fuzilando nossas almas sedentas
Fomos pra casa, da sua varanda vê-se o Cristo redentor......lindo!
Ouvi um som vindo de dentro de casa, era você e sua flauta
Diante de mim tocava  brilhantemente, me sentia lisonjeada
Meu coração disparava neste momento único
E eu vivia cada momento como se fosse o último
Nos dois ali, o seu som carinhoso e os seus beijos alucinantes
Que me desmantelavam num todo, sem armas pra lutar
Só  restava me entregar a tanta paixão
Era inevitável resistir aqueles beijos alucinantes
Que  eu docemente correspondia
Apaixonadamente me deliciava com seus toques
As estrelas se curvavam diante de tanto amor
A lua envergonhada se escondia sob as núvens
chegava a ser indecente diante dos seus brilhos
E os beijos seguiam por toda a noite
Alucinados  debruçados sobre meu corpo sem fôrças
Como sair dessa luta voraz!
Não podia mais e nossa entrega era total
Beijos meus - beijos seus - incansáveis beijos
Alucinantes beijos!

Um comentário: