terça-feira, 23 de setembro de 2014

Desabafos de um pota - Meus **EUS** e meus **AIS**

Na folha em branco ali diante de mim a caneta pendia entre meus dedos trêmulos
Meu olhar distante visualizava o horizonte recebendo raios dourados do sol
O dia seguia calmo, eu ouvia o barulho da cachoeira empurrando as águas pra frente
Os pássaros felizes inquietos cantavam e pulavam nas árvores frondosas
O vento passeava acariciando minha pele balançando meus poucos cabelos
O tempo é senhor dos anéis e me leva e me balança a alma ali observadora
Sou poeta e são nas linhas desse papel que meus **ais** e meus ** eus**
Se transformam em desabafos de um poeta
Poeta que canta, que sorri, que chora e que muitas vezes traz escondido dentro da alma
Suas dores, suas tristezas, seus amores....seus sonhos.
E o desabafo de um poeta sempre termina aqui num feito assim
Feito poesias que exalam as paixões, os amores...... rumores,,
Entender essa alma não faz sentido, porque um poeta
Vai além de sua imaginação, transforma dor em alegria
Grita o silêncio que ninguem ouve....
Desabafa no olhar..... faz seus versos de um jeito sempre inédito
Vem da alma que ama, que perdôa mil vezes
Vem do coração.

Nenhum comentário:

Postar um comentário